quinta-feira, 5 de outubro de 2017

Tião Gomes se licencia e Cabo Rafael retorna a ALPB


Deputado protocolou licença sem remuneração de 120 dias hoje

O deputado estadual Tião Gomes (Avante) protocolou, nesta quinta-feira (5), licença sem remuneração de 120 dias das atividades parlamentares para tratar de assuntos particulares.
Com a licença, quem assume a vaga é o suplente cabo Rafael, que deixou o PSL com Tião e se filiou na segunda-feira (2) ao Avante. O rertono de cabo Rafael faz parte de uma arriculação de Genival Matias.
Rafael assumiu, recentemente, o mandato do deputado Zé Paulo (PSB), que se licenciou para tratamento médico. Ele deixou a Asdembleia Legidlativa com o retorno do socialista ao mandato.
Da Redação (com Blog do Anderson Soares)

Filho do prefeito de Teixeira é preso acusado de matar adversário politico


Prisão aconteceu na operação Crida realizada pela Polícia Civil de Patos

O filho do prefeito da cidade de Teixeira, no Sertão da Paraíba, foi preso, na manhã desta quinta-feira (5), suspeito de matar um adversário político, indentificado como Antônio Claudeonor Nunes. O crime aconteceu no dia 19 de julho deste ano. 
A prisão aconteceu na operação Crida relaizada pela Polícia Civil de Patos. Foram cumpridos mandos de busca e apreensão e prisão, expedidos pela justiça de Patos. 
Segundo o delegado Demétrius Patrício, a motivação do crime foi política, já que a vítima atuava em oposição à gestão da família do suspeito, 
A operação recebeu o nome ‘Crida’, em referência ao apelido da vítima, que era bastante conhecido na cidade. Claudeonor foi morto com um tiro de espingarda nas costas em uma rodovia que liga as cidades de São José do Bonfim e Teixeira.
Além do filho do prefeito, mais quatro pessoas foram presas e apreendidas três pistolas 380 e espingardas de calibres diversos.
Os presos serão levados para o presídio de Patos. Segundo o delegado, o crime não prevê fiança. As prisões são temporárias de 30 dias, podendo ser prorrogadas por mais 30 ou relaxadas, se a Justiça determinar.
Da Redação

Idoso é detido após ameaçar outro de 82 em Bonito de Santa Fé


Idoso é detido após ameaçar outro de 82 em Bonito de Santa Fé
 Um aposentado de 80 anos foi detido pela Polícia Militar, nesta quarta-feira (04), após se envolver em uma confusão ocorrida no Conjunto Mutirão, em Bonito de Santa Fé, no Sertão do Estado.


Segundo informações registradas no Boletim de Ocorrência policial, o idoso se dirigiu até a casa de outro aposentado, de 82 anos, com uma faca peixeira de 14 polegadas, pronto para agressão.

Uma guarnição policial foi chamada ao local e levou o senhor, que estava bastante alterado, para a delegacia da cidade, onde a Polícia Civil, através do agente Péricles Ramalho, recebeu a denúncia, por volta do meio dia, que ficou à disposição da autoridade policial e ou judicial para adotar os procedimentos adequados para o caso.

A polícia não informou o motivo da ocorrência, que foi registrada como ameaça e porte de arma branca. As informações são do portal Radar Sertanejo




Redação

Suplente Cabo Rafael vai voltar à ALPB; Tião Gomes se afasta do mandato por 121 dias


Suplente Cabo Rafael vai voltar à ALPB; Tião Gomes se afasta do mandato por 121 dias
O suplente Cabo Rafael, que assim como os deputado Tião Gomes e Bosco Carneiro, deixou os quadros do PSL na Paraíba, já preparou o paletó para voltar a assumir uma cadeira na Assembleia Legislativa da Paraíba. 

É que, nesta quinta-feira (05), o deputado Tião Gomes (Avante) protocolou um peddo de licença das atividades parlamentares, por um período de 120 dias. A alegação do parlamentar, conforme justificou, é para tratar de assuntos particulares.

O rertono de cabo Rafael faz parte de uma articulação de Genival Matias, presidente estadual do Avante.

Essa será a segunda vez que Rafael assume o mandato na Casa.

Recentemente ele ocupou o mandato do deputado Zé Paulo (PSB).

Com Rafael, sobe para oito o número de suplentes com acento na Casa de Epitácio Pessoa.


SUPLENTES NA ALPB

Hervázio Bezerra - no lugar de Lindolfo Pires


Arturzinho Cunha Lima - no lugar de Buba Germano


Raoni Mendes - no lugar de Adriano Galdino


Aníbal Marcolino - no lugar de Jullys Roberto


Guilherme Almeida - no lugar de Manoel Ludgério


Eliza Virgínia - no lugar de Tovar Correia Lima


Emano Santos - no lugar de Jutay Menezes


Cabo Rafael - no lugar de Tião Gomes

Operação prende filho de prefeito e mais três no Sertão da PB


De acordo com o delegado Demétrius Patrício, na operação também foram cumpridos 12 mandados de busca e apreensão
Polícia | Em 05/10/17 às 11h53, atualizado em 05/10/17 às 11h59 | Por Redação
Reprodução/Google Street View
Delegacia da Polícia Civil em Patos
O filho do prefeito da cidade de Teixeira, Edmilson Alves dos Reis, mais conhecido como Nego de Guri, foi preso, na manhã desta quinta-feira (5), suspeito de participação em um homicídio no dia 19 de julho deste ano. Além do jovem, outras três pessoas presas pela polícia. Na operação também foram cumpridos 12 mandados de busca e apreensão.



Em contato com o Portal Correio, o delegado da cidade de Patos, Demétrius Patrício disse duas pessoas, alvos dos mandados de busca e apreensão, foram flagradas com armas e munições em suas residências. Eles foram liberados após o pagamento de fiança. Já o outro preso é apontado, ao lado do filho do prefeito de ter participado do homicído.

Demétrius Patrício disse que o crime foi uma ‘queima de arquivo’, já que a vítima iria depor no caso que investigava uma tentativa de homicídio contra seu filho. O delegado revelou que a vítima e seu filho faziam críticas à gestão do prefeito, e por isso teriam sido alvo de retaliação. “Como a vítima iria depor no caso que investigava a tentativa de homicídio contra ele, acreditamos que esse crime tenha sido motivado por queima de arquivo”, comentou.

O filho do prefeito foi levado para o presídio da cidade de Patos, onde cumpre prisão temporária.

A reportagem do Portal Correio entrou em contato com o prefeito Nego de Guri, que estava aguardando o voo para retornar de Brasília, onde participou de encontro de gestores paraibanos. Ele disse não estar totalmente inteirado do assunto, mas atribuiu o fato a questões políticas.

Delegado paraibano é alvo de operação que investiga agiotagem e lavagem de dinheiro


Operação deflagrada nesta quinta apreendeu R$ 28 mil em espécie, cheques, cartões de crédito e notas promissórias
Justiça | Em 05/10/17 às 11h43, atualizado em 05/10/17 às 11h54 | Por Redação
Reprodução/Google Street View
Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN)
O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) divulgou que um dos principais alvos da Operação Tábua VIII, deflagrada nesta quinta-feira (5), é um delegado paraibano. Ele seria integrante de uma organização criminosa voltada para prática de agiotagem e lavagem de dinheiro.

O delegado é natural de Sousa, no Sertão paraibano. Sua casa na cidade foi um dos imóveis onde houve cumprimento de mandados de busca e apreensão. As atividades incluíram ainda buscas na casa de um ex-policial militar do estado potiguar. Lá, foram apreendidos R$ 28 mil em espécie, além de grande quantidade de cheques, cartões de crédito e notas promissórias em nome de terceiros.
Os mandados foram expedidos por um colegiado formado por três juízes. Promotores de Justiça cumpriram cinco ordens nas cidades de Apodi e Caicó, no Rio Grande do Norte, e em Sousa. O MPRN começou a investigar os crimes na cidade de Apodi, onde o delegado paraibano trabalha. Ele também comanda a Divisão de Polícia do Oeste (Divipoe), com sede em Mossoró.
O nome da operação faz referência à Lei das Doze Tábuas do Direito Romano. A oitava tábua tratava dos crimes e das condutas ilícitas, sendo um dos mais antigos registros históricos da proibição da usura e anatocismo, que é a cobrança de juros sobre juros.

Prefeitos da PB pedem R$ 4 bilhões para cobrir rombo nas receitas municipais


Prefeitos elaboraram documento que cita problemas para gerir recursos municipais e déficits orçamentários decorrentes da precarização de repasses
Gestão | Em 05/10/17 às 11h38, atualizado em 05/10/17 às 11h45 | Por Alisson Correia e Alexandre Freire
Marcos Santos/ USP Imagens
Imagem Ilustrativa
A Confederação Nacional dos Municípios (CMN) formalizou o pedido de R$ 4 bilhões para socorrer prefeituras das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste do Brasil. O pedido de uma edição de medida provisória para apoio financeiro aos Municípios de forma emergencial é resultado de um encontro entre deputados da bancada federal da Paraíba e prefeitos do estado, nessa quarta-feira (4), em Brasília. Participaram da reunião cerca de 100 prefeitos de várias regiões do estado.



O documento aponta que as gestões municipais não têm mais como cobrir as despesas com folha de pagamento o que, segundo o texto, “inviabiliza completamente as administrações”. “Nossa demanda por serviços públicos está aumentando muito, o que necessita de mais investimentos de nossa parte”, diz parte do documento.

Conforme a solicitação, os prefeitos dizem que programas federais são executados de forma precária, sem segurança jurídica e subfinanciados, o que “onera demais a estratégia a administração”. O pedido cita como exemplo o ‘Estratégia de Saúde da Família (ESF)’ que custaria cerca de quatro vezes mais que o repassado pelo governo federal.

“[Para o ESF], o Ministério da Saúde repassa R$ 10.695,00 por equipe para Municípios, porém, o custo verdadeiro é, em média, R$ 42.500,00 por equipe. Como se percebe, V.Exa., esta conta não fecha, não temos recursos livres para bancar esses programas. Além disso, sustentamos com a cessão de pessoal várias repartições federais pagas com nossos recursos, assumimos várias tarefas que não são de nossa competência, como segurança pública, entre outras”.

O pedido cita ainda a dificuldade que 3.823 prefeituras brasileiras enfrentam por dependerem essencialmente do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) e alega que o aumento desse recurso não tem sido suficiente para cobrir todas as despesas.

“Cerca de 3.823 Municípios do país possuem até 20 mil habitantes, cidades nas quais a maior receita é composta pelo FPM, que está com o crescimento muito pequeno em relação ao aumento de nossas despesas. Até setembro, o aumento era de 10,59% em termos nominais e 6,64% em termos reais, e a previsão para o final do ano não é muito animadora, temos uma pressão enorme de aumento dos gastos de pessoal com pisos nacionais, como, por exemplo, o piso do magistério, o qual consome em média 80% dos recursos do Fundeb somente com o pagamento dos salários”.

O texto fecha com o pedido de R$ 4 bilhões para que as prefeituras consigam resolver esses problemas. O pedido para que seja feita a ‘Medida Provisória para um apoio Financeiro aos Municípios (AFM)’ é destinado ao presidente Michel Temer (PMDB).

Durante encontro da bancada federal com prefeitos paraibanos em Brasília, o senador José Maranhão (PMDB-PB) disse que os gestores têm razão nas reivindicações e entende os apelos feitos à bancada.

Maranhão disse conhecer a realidade dos Municípios e garantiu empenho para que o Brasil saia desse cenário adverso o quanto antes. “Entendemos o apelo feito pelos prefeitos da Paraíba porque eles conhecem de perto as verdadeiras necessidades dos Municípios e da população”, comentou.